Arquivo de janeiro \31\UTC 2008

Juntando PDFs pela linha de comando

(Esse artigo requer conhecimento de terminal Linux e Windows)

Uma das coisas que o formato PDF resolveu foi digitalizar minhas impressões.

Voce paga um boleto bancario na internet e ao invés de imprimir o comprovante voce apenas “PDFliza” ele. Ok, vamos parar com neologismo, voce digitaliza sua impressão e quando requerido voce imprime ou envia por email para outra pessoa.

Mas existe um problema que massacra muita gente :

E quando eu tenho não apenas um PDF, mas vários e até mesmo de proporções diferentes (uns no modo paisagem e outros em modo retrato) e preciso junta-los num único PDF ?

Existem poucos programas escritos para esse propósito, mas há uma maneira eficiente de fazer isso no Linux usando o Ghostscript, vejamos.

Primeiramente ponha os arquivos PDF que queira junta-los numa única pasta e usando o terminal caminhe até ela :

cd /pasta/onde/estao/os/pdf

Vamos criar um arquivo texto com o conteúdo dos PDFs existentes nessa pasta :

ls -1 *.pdf >relacao.txt

Voce acabou de criar um arquivo de nome relacao.txt com os nomes dos arquivos .pdf que serão juntados, veja esse exemplo :

contas_em_atraso_de_execao.pdf
dez-darf-simples.pdf
dez-fgts-sem-tomador.pdf
dez-gps.pdf
dez-inss-gps.pdf
dez-simples-nacional.pdf
dpvat-2008.pdf
estatistica_de_recebimento.pdf
ipva-2008.pdf
licenciamento-2008.pdf
recibo-fgts.pdf

A ordem acima será respeitada ao juntar os PDFs, se voce quer uma ordem diferente, basta reeditar este arquivo colocando as linhas na ordem desejada.

Porfim, agora vem a hora de usar o ghostscript, friozinho na barriga ? Que nada, veja como é moleza :

gs  -sDEVICE=pdfwrite -dSAFER -dBATCH -dNOPAUSE -sOutputFile=/tmp/juntar_tudo.pdf @relacao.txt -c -q

Rapaz, voce acabou de criar um /tmp/juntar_tudo.pdf com todos os PDFs alistados em relacao.txt. Se voce tem poucos PDFs e acha que não compensa criar um arquivo relacao.txt voce pode simplesmente relacionar os nomes de arquivos em PDF na própria linha de comando, apenas substitua @relacao.txt pelos nomes dos arquivos PDFs que pretende juntar.

No Windows, o principio é o mesmo, mas naturalmente voce precisa instalar o ghostscript para Windows, e na hora de gerar os PDFs deve executar pelo cmd do Windows :

c:\gs\gs8.54\bin\gswin32.exe -sDEVICE=pdfwrite -dSAFER -dBATCH -dNOPAUSE -sOutputFile=c:\temp\juntar_tudo.pdf @c:\temp\relacao.txt -c -q

Parabens ! Voce é um hacker no terminal Linux e Windows agora. Já faz algo que poucos aplicativos sabem fazer ou custam uma fortuna.

Conclusão

Voce não somente junta PDFs, mas pode juntar Postscripts normais também.

Com um pouquinho de curiosidade e voce pode mudar sDevice e produzir no resultado da junção um arquivo em outro formato como png/jpeg/bitmap. Um hacker por exemplo poderia produzir um jpeg dum PDF e usar um conversor OCR para recuperar um texto protegido. Enfim, com o ghostscript há muitas funcionalidades.

22 Comentários

Aparência de Mac OSX no seu GNOME

Essa é um artigo requentado, não faz muito tempo, pouco antes do lançamento do incrivel, fenomenal, magnifico sistema operacional da Apple, Mac OS X Leopard, eu demonstrei como é possivel deixar o GNOME com cara de Mac, alias até melhor em alguns aspectos.Novamente vou repetir o artigo, dessa vez com a versão 0.4 do pacote Mac4Lin.
No final do artigo voce encontrará dois videos demonstrando o Look and Feel desse Tema. O vídeo demonstrativo pega pesado usando o WINE (com msoffice2003) e o vmware (virtualizando o windows xp), também demonstra o comportamento desse tema com acesso ao menu do GNOME, acesso ao cairo-dock, troca de tarefas, meta-desktop (cubo) e as firulas do compiz.

1) Obtendo os pacotes-temas para o GNOME

Primeiramente vá ao endereço http://sourceforge.net/projects/mac4lin, você precisará baixar de lá 4 arquivos :

Mac4Lin_Part1_v0.4.tar.gz <– descompactar
Mac4Lin_Icons_Part2_v0.4.tar.gz
Mac4Lin_Wallpapers_Part3_v0.4.tar.gz <– descompactar

Mac4Lin_Documentation_2.pdf <– apenas a documentação em inglês de como processar a instalação

Extraia todos os arquivos marcados para ‘descompactar’ no mesmo diretório, ao extraí-los serão criadas as seguintes pastas :

Mac4Lin_v0.4
Wallpapers

2) E no principio era apenas o terminal…

Primeiramente vamos precisar dum terminal com acesso de `root`, dê um ALT+F2 e execute “gksu gnome-terminal”, após a carga do terminal, vamos precisar de instalar os pacotes `gnome-art`, `usplash` e `startupmanager` que são importantes para aplicação desse passo a passo.

apt-get install gnome-art usplash startupmanager

3) Instalando novas fontes

Agora que voce tem um terminal com aceesso de “root”, vá até a pasta “Mac4Lin_v0.3/Fonts” que foi descompactada e a seguir execute :

tar zxvf /onde/descompactei/o/arquivo/Mac4Lin_v0.4/Fonts/OSX_Fonts.tar.gz -C /usr/share/fonts/truetype

Voce estará instalando em seu sistema as seguintes fontes :

OSX Fonts/Lucida Grande.ttf
OSX Fonts/AppleGaramond.ttf
OSX Fonts/AppleGaramond-Bold.ttf
OSX Fonts/lucon.ttf
OSX Fonts/LITHOGRL.TTF
OSX Fonts/HardGothicNormal.ttf
OSX Fonts/AppleGaramond-BoldItalic.ttf
OSX Fonts/Lucida Grande Bold.ttf
OSX Fonts/Aquabase.ttf
OSX Fonts/AppleGaramond-LightItalic.ttf
OSX Fonts/AppleGaramond-Light.ttf
OSX Fonts/AppleGaramond-Italic.ttf

Precisaremos de algumas fontes microsoftianas, por isso também execute :

apt-get install -y msttcorefonts

Por fim, devemos catalogar as novas fontes instaladas com o comando :

fc-cache -f -v
dpkg-reconfigure fontconfig

Vamos prosseguir e alterar as fontes usadas no GNOME, carregue o Preferências de Aparência em Sistema->Preferências->Aparência (vamos chama-lo daqui em diante de gerenciador de temas), após isso vá até a orelha “Fontes”, ela deverá ficar assim :

Fonte de aplicações : Bitstream Vera Sans Roman, tamanho 8,59961.
Fonte de documentos : Aquabase, Tamanho 9.
Área de Trabalho : Trebuchet MS Negrito, tamanho 9.
Fonte do título de janelas : Lúcida Grande Bold, tamanho 9.
Fonte de largura fixa : Bitstream Vera Sans Mono Roman, tamanho 10.

Alerta : Antes de fazerem tal modificação, atente-se de que deve anotar as fontes que estão sendo usadas no seu sistema para o caso de não alcançarem o efeito desejado e quiser retornar, além disso a renderização é necessária, no meu caso “Suavização de Subpixel”, para você poderá ser outra.

4) Instalando novos cursores

Carregue o gerenciador de temas, após isso vá até a pasta recém descompactada “Mac4Lin_v0.4/GTK Cursor Theme” e arraste o arquivo `Mac4Lin_Cursors_v0.4.tar.gz` para dentro da janela do gerenciador de temas. Cada vez que você arrastar e soltar um .tar.gz com um tema dentro, o gerenciador de temas vai questiona-lo se deseja aplicar este tema, o mais indicado é responder ’sim’ daqui para frente.

Tela de configuração cursor :

Escolhendo o cursor com estilo de Mac OS X.

5) Instalalando e configurando os sons

Novamente vá até a pasta recém descompactada “Mac4Lin_v0.3/Sounds’ , lá você encontrará o arquivo “OSX_Sounds_v0.3.tar.gz” que possui uma coleção de sons .wav temático do OS X. Para instala-lo :

tar zxvf /onde/descompactei/o/arquivo/Mac4Lin_v0.4/Sounds/MacOSX_Sounds.tar.gz -C /usr/share/sounds

Agora volte para o menu em Sistema->Preferencias->Som, escolha a orelha “Sons” e lá voce encontrará uma tela semelhante a :

Preferencias de som

Clique em cada caixa de seleção de musica e escolha os efeitos sonoros conforme mostrado acima, os efeitos sonoros exclusivos estarão na pasta /usr/share/sounds/MacOSX_Sounds/. Obviamente a idéia acima foi apenas um exemplo, há muitos outros arquivos de som que podem ser combinados.

Alerta : Se você já possui uma coleção de sons já configurado não esqueça de anota-las antes dessa modificação, isto é requerido caso você não goste da combinação acima.

6) Instalando o tema versão Metacity (padrão do gnome)

Se você usa outro gerenciador de janelas como por exemplo o emerald então pule este passo.

Vá até a pasta recém descompactada “Mac4Lin_v0.4/GTK Metacity Theme’ , lá há dois temas incluídos :

Mac4Lin_GTK_Graphite_v0.4.tar.gz

Mac4Lin_GTK_v0.4.tar.gz

Existem também outros dois com nome semelhante porém com o sufixo “Mac4Lin_GTK_MacMenu“, estes só podem ser utilizados se voce aplicou um patch que transformou o menu do gnome exatamente como no Mac, onde os menus dos aplicativos também vão flutuar no painel superior.

O procedimento para instalar estes dois temas é igual a qualquer outro, apenas arraste um ou os dois temas para dentro do gerenciador de temas.

7) Instalando novos ícones

Carregue novamente o gerenciador de tema, após isso vá até a pasta onde voce copiou o arquivo “Mac4Lin_Icons_Part2_v0.4.tar.gz” e arraste-o para dentro da janela do gerenciador de temas. Quando você arrastar e soltar então o gerenciador de temas vai questiona-lo se deseja aplicar este tema, responda ’sim’.

Para exibir ícones na area de desktop como “Meu Computador”, “Minha Pasta Pessoal”, “Servidores de Rede” e “Lixeira”, faça assim, dê um ALT+F2 e execute “gconf-editor” e a seguir procure por essa chave apps->nautilus->desktop e habilite as seguintes entradas conforme sua necessidade de exibir tais ícones na area de desktop :

  • Computer Icon Visible = Meu Computador
  • Home Icon Visible = Minha Pasta Pessoal
  • Network Icon Visible = Servidores de Rede
  • Trash Icon Visible = Lixeira

Exemplo da aparencia da tela com os ícones temáticos :

Gnome com aparencia de Mac OSX

8) Instalando novos papeis de parede

Carregue novamente o gerenciador de tema, escolha a orelha “Plano de Fundo” e após isso vá até a pasta recém descompactada “Wallpapers/″ e arraste todos os arquivos (use o mouse para selecionar todos) para dentro da janela onde exibe todos Planos de Fundos. Quando voce arrastar e soltar então todos os papeis de paredes utilizados no Mac OS X estarão relacionados. Selecione uma imagem qualquer da relação que satisfaça seu gosto pessoal, todas são excelentes imagens.

9) Instalando o tema para o Emerald

Se você não usa o gerenciador de janelas Emerald, pule este tema.

Carregue o gerenciador de temas do Emerald, vá em Sistema->Preferências->Emerald Theme Manager, a seguir vá em “Temas” e clique no botão “Importar”, e ao ser questionado para selecionar o arquivo então escolha-o dentre a récem descompactada pasta “Mac4Lin_v0.4/Emerald Theme/…” , lá voce encontrará dois ótimos temas, selecione um deles.

10) Tema para o gerenciador de login (GDM)

Carregue o gerenciador de login, vá em Sistema->Administração->Janela de Inicio de Sessão, em seguida selecione a orelha “Local”, também na opção “Tema” escolha a opção “Apenas selecionado”. Você perceberá que logo abaixo há uma relação de temas a serem selecionados, a partir daí apenas arraste o conteúdo da pasta recém descompactada “Mac4Lin_v0.4/GDM Theme/Mac4Lin_GDM_v0.4.tar.gz” para a janela onde há essa relação de temas. Você será questionado se deseja realmente instalar este tema, escolha “sim” e a seguir verá como opção de tema, um item chamado “Mac OS X Leopard” na relação, agora é só seleciona-lo e aplicar. Na próxima vez que fizer o seu login notará uma diferença agradável. Esse tema para o GDM está uma obra prima.

11) Tema para o splash screen do GNOME

Carregue o gerenciador de splash screen do gnome, vá em Sistema->Preferencias->Splash Screen, a seguir ative a opção “Mostrar splash screen no inicio” (em inglês : Show splash screen on startup). Após isso ative o botão “Exibir splash screen no inicio” (em inglês : “Show splash screen on startup”) e em seguida clique no botão “+ Instalar” (em inglês : “+ Install”) e selecione os 3 arquivos que estão na pasta recém descompactada “Mac4Lin_v0.4/GTK Login Splash/”. Esse procedimento é chato porque você não pode arrastar e soltar todos de uma única vez, tem que incluir individualmente os 4 arquivos de splash-screen. Após incluir todos, selecione uma que lhe agrade na tela principal e clique no botão “Ativar” (em inglês : “Activate)” em baixo. Na próxima vez que fizer o seu login notará a diferença.

12) Tema para o Firefox

Antes de instalar os temas é preciso instalar algumas extensões que acompanham o tema, para instala-los carregue o Firefox e vá em Ferramentas->Complementos e a seguir selecione a orelha “Extensões” (ou “Complementos” em algumas versões), e arraste todos os arquivos que encontrar na pasta recém descompactada “Mac4Lin_v0.4/Firefox Addons/Extensions/” com as seguintes extensões :

custom_buttons.xpi
fission-0.8.8.xpi
stop_reload_button.xpi

Se voce está usando o GNOME com o patch-menu do Mac ou também acha que o menu do Firefox é muito consumista de espaço, também vai gostar de instalar essa extensão :

hide_menubar.xpi

Basicamente o que ela faz é ocultar a barra de menu do Firefox, sem o patch de menu do MacOSX voce só voltará a ve-lá na opção de personalizar a barra de icones (onde fica voltar, avançar, reload,…).

Para a janela do Firefox contendo os complementos, e então instale todas essas extensões. Achei essas extensões bem agradáveis, o status de progressão por exemplo se utiliza da própria barra de URL.

Então por fim arraste também o arquivo-tema “FireFox Safari Skin – Vfox2.jar” que se encontra em “Mac4Lin_v0.4/Firefox Addons/Extensions/FireFox Safari Theme – Vfox2.jar” e aplique o novo tema. Reinicie o firefox se desejar saber como ficou a aparência dele. O Firefox depois de re-estilizado fica assim :

Tema do apple Mac OS X aplicado no firefox.

13) Instalando o Cairo-Dock (somente para usuários do compiz/XGL)

O Cairo-Dock é uma dock com algumas semelhanças com o dock do Mac OSX, mas possui vários temas e plugins, onde cada combinação produz um resultado totalmente novo em suas características.Infelizmente não é possível instala-lo a partir de nenhum repositório. Porém, há pacotes prontos onde é mantido o projeto.

Acesse a página : http://developer.berlios.de/project/showfiles.php?group_id=8724

E salve os seguintes arquivos :

cairo-dock-plug-ins_[versao]_i686-32bits.deb
cairo-dock_[versao]_i686-32bits.deb

No terminal, execute :

sudo apt-get -y install libglitz-glx1   libglitz1
cd /onde/salvei/os/pacotes/do/cairo
sudo dpkg -i  cairo-dock*.deb
sudo apt-get install -f

Para experimenta-lo vá ao menu do GNOME->Ferramentas do Sistema->Cairo Dock.
Na primeira vez em que ele é carregado é mandatório a seleção de um tema, escolha “_MacOSX_” que é mais adequado para imitar o sistema da Apple. A parte mais importante é que ao selecionar um tema deixe também marcado as opções “Use the new theme’s behaviours” e “Use the new theme’s lauchers” para não manter as caracteristicas de temas anteriores :

ubuntuparadise-cairodock-selecionar-tema.png

Após carregar o cairo-dock, vá até a dock que estiver sendo exibida e com um clique  botão-direito selecione Cairo-dock->Check Updates, depois repita a mesma operação, porém Cairo-dock->Manage Themes, é nesse momento que você selecionará a guia “Themes” e na relação de “List of themes”  o tema exemplo “_MacOSX_“, deixe também marcado as opções “Use the new theme’s behaviours” e “Use the new theme’s lauchers“. Uma amostra de como ficará a dock :

Cairo-Dock com a aparencia de MacOSX

Para manter o Cairo-Dock carregado sempre que sua sessão do GNOME iniciar, acesse o menu do GNOME->Sistema->Preferencias->Sessões, então clique no botão “Adicionar” e preencha os campos nome, comando e comentário com cairo-dock.

Além dos temas variados, há também muitos plugins. Um deles carrega na dock a previsão do tempo, só que para funcionar precisa especificar o código da localidade a ser observada. Como eu descubro esse código ? É simples, basta acessar o endereço : http://br.weather.com e lá procurar a cidade ou localidade desejada, se eu pesquisar por ‘São Paulo’  serei redirecionado para a página : http://br.weather.com/weather/local/BRXX0232?x=0&y=0

O código em negrito acima é o código da localidade a ser usada para este plugin :

No caso do plugin acima você pode ainda detalhar alguns efeitos como o “carrocel” para exibir de forma giratória as previsões do tempo futuras :

Na minha opinião, cada tema do cairo-dock é mais  bonito que o outro e cada um deles tem suas surpresas.

14) Telas de boot (usplash e grub)

Também é possivel modificar a tela de seleção de boot do grub e o splash screen quando o sistema inicia-se. Antes de prosseguir atente-se para o seguinte fato, o aplicativo que voce está preste a instalar é capaz de personalizar o grub de uma forma bastante abrangente que pode esbarrar em limites conhecidos por sua placa de video, portanto, use as instruções a seguir por sua conta e risco.

O startup-manager é um excelente front-end para configurar o sistema de boot, o grub. No entanto, dependendo das configurações que voce utilizar poderá até mesmo incapacitar o sistema de boot de sua máquina, por isso vamos fazer uma cópia da configuração atual do GRUB :

sudo cp /boot/grub/menu.lst /boot/grub.menu.lst.copy

Vá em Sistemas->Administração->Startup-Manager, eis a tela a seguir :

Tela do Startup Manager.Tela do Startup Manager (aparencia).

O primeiro ajuste é ir até a guia “Boot Options” e habilitar as opções :

Show bootloader menu
Show boot splash
Show text during boot

Após isso vá até a guia “Appearance”, habilite a opção “Use colors in bootloaders menu”.

Clique no botão “Manage bootloaders themes…” e a seguir no botão “Adicionar” e adicione todos as imagens .xpm.gz alistados na pasta recém descompactada em “Mac4Lin_v0.4/Grub Splash/*.xpm.gz”, a seguir habilite a opção “Use Background image for bootloader menu” e finalmente na caixa “Grub Background Image” voce seleciona uma das telas que voce adicionou, por exemplo, mac1.xpm.gz.Também clique no botão “Manage usplash themes…” e a seguir no botão “Adicionar” e adicione todos os temas (arquivos com a extensão .so) alistados na pasta recém descompactada em “Mac4Lin_v0.4/Usplash/*.so”, a seguir em “Usplash Theme” seleciona um dos temas que voce adicionou, por exemplo, osx-splash.so.

A combinação acima é apenas um exemplo, para verificar o seu funcionamento reinicie o computador. Novamente vale a pena ressaltar de que dependendo da combinação em “Boot Options”, o GRUB e o tema dele podem falhar se sua placa de video não portar tais resoluções indicadas no modo de vídeo vesa.

15) Confira a aplicação do tema

Gerenciador de temas não é muito confiável quando voce pede para ele aplicar os temas e cursores automáticamente. Portanto, sugiro você verificar como o seu tema ficou no final. Acesse o menu do GNOME e vá em Sistemas->Preferencias->Aparência e confirma se o tema selecionado e chamado de “Personalizado” está configurado conforme indicado abaixo e faça as mudanças necessárias :

Tema : Personalizado (duplo clique nele)

Controles : Mac4Lin_GTK_(qualquer um dos temas acima)_V0.4

Cores : n/a

Margem da Janela : Mac4Lin_GTK_(qualquer um dos temas acima)

Ícones : Mac4Lin_Icons_v0.4

Cursor : Mac4Lin Cursors v.0.4

Se tudo está conforme esperado, então feche o gnome-terminal.

No final seu GNOME ficará mais ou menos assim :

Um pouco mais do Look and Feel do mac4Linux usando aplicações consideradas criticas nesse ambiente OpenGL tais como wine (usando o msoffice2003) e vmware(virtualização), claro que é util para demonstrar a troca de programas, meta-desktops (cubo) e firulas do compiz :

Conclusão :

Ainda existem alguns outros ajustes que voce poderia fazer como por exemplo configurar o exaile(conjugado com o AWN), Pidgin e XMMS, infelizmente não dá para mencionar todas as possibilidades, mas se voce estiver interessado então leia PDF que acompanha o Mac4Lin descrevendo passo a passo todos os itens que mencionei e ainda mais alguns outros.

32 Comentários

Mais uma solução estranha para problemas conhecidos

Pois é, deu no Plantão Info :

“Segundo a Microsoft, uma falha em algumas versões do Excel pode permitir a crackers inserir códigos maliciosos dentro da planilha. Quando o usuário recebe o arquivo e o abre pode ser infectado.”

Pois é, noticias como esta estão ficando cada vez mais comuns, mas no caso especifico da Microsoft a solução do problema me chamou a atenção :

“A Microsoft recomenda que seus usuários evitem fazer download de arquivos de Excel de pessoas suspeitas até que uma correção de segurança seja divulgada.”

Se eu soubesse que a pessoa é suspeita eu não evitaria sempre ?

O problema não é com as pessoas suspeitas porque são suspeitas, o problema é com os que não são suspeitos e estejam com suas planilhas com a segurança comprometida. Porque não recomendam deixar de usar o Excel também ? Afinal, o Excel é suspeito. :)

3 Comentários