Arquivo de dezembro \22\UTC 2006

Instalando o Looking Glass no Ubuntu.

Para quem não sabe o Looking Glass é um ambiente gráfico da Sun, já está em desenvolvimento a bastante tempo. A idéia dele é proporcionar um ambiente gráfico totalmente em 3D produtivo e escrito em JAVA. Eu não vou falar nada a respeito dele e deixar que voce mesmo tire suas próprias conclusões.

1) Vá até a página https://lg3d-core.dev.java.net/binary-builds.html e faça o download dos seguintes arquivos :

* Ubuntu x86 lg3d package (61M)
* Ubuntu lg3d-jdk package (70M)
* Ubuntu lg3d-java3d package (1.6M)

Como voce pode ter notado o download é de arrepiar, são 133M de download. E eu não queria falar nada, mas já imagiou se se voce não gostar dele, o tamanho do prejuízo ? Eu utilizaria o wget para realizar estes downloads, eis um exemplo de como baixa-los na linha de comando :

wget -vc https://lg3d-core.dev.java.net/files/documents/1834/46211/lg3d-core_1.0.0_i686.deb
wget -vc https://lg3d-core.dev.java.net/files/documents/1834/46216/lg3d_jdk1.6.0_i686.deb
wget -vc https://lg3d-core.dev.java.net/files/documents/1834/46215/lg3d_java3d_1.5.0_i686.deb

2) Vamos instalar o java :

sudo apt-get install sun-java5-plugin sun-java5-jre sun-java5-fonts sun-java5-bin gsfonts-x11

Após isso, é necessário informar ao sistema operacional qual java voce prentende usar, fazemos isso com o comando :

sudo update-alternatives –config java

e a seguir selecionamos o número da opção relativa ao sun-java que acabamos de instalar.

3) Para instalar os pacotes :

sudo dpkg -i lg3d_jdk1.6.0_i686.deb lg3d-core_1.0.0_i686.deb lg3d_java3d_1.5.0_i686.deb

Voce terá que concordar com as licenças que serão mostradas.

Ao final da instalação uma mensagem de congratulações será mostrada, segue abaixo :

Instalando lg3d-jdk (1.6.0+b104) …

Instalando lg3d-java3d (1.5.0) …

Instalando lg3d-core (1.0.0) …
Success. LG has been added as a gdm session.

Parabens !O Looking Glass está instalado, mas antes de reiniciar o GDM, vamos conferir nossa instalação.

4) O Loogking Glass não roda em sistema de cores menor que 24bits, execute este comando no seu terminal :

xdpyinfo | grep “depth of root”

Se retornar algo menor que “depth of root window: 24 planes”, então voce terá que editar o arquivo /etc/X11/xorg.conf e trocar a seguinte ocorrencia :

DefaultDepth 16

por

DefaultDepth 24

Também acrescente a linha :

DefaultFbBpp 32

Ficando assim :

DefaultDepth 24
DefaultFbBpp 32

5) A próxima verificação é descobrir se voce está com o suporte de renderização por hardware está ativado, execute este comando :

glxinfo |grep direct

Se a resposta do comando acima for “direct rendering: Yes”, então tudo OK. Se houver problemas procure ajuda em forums e listas e pergunte como habilitar o suporte 3D de sua placa de video.

6) Finalmente agora voce pode reiniciar o GDM apenas teclando a combinação CTRL+ALT+BACKSPACE, mas lembre-se de salvar seus arquivos ainda abertos.

Conclusões Finais

  • Sem conclusões finais, vou ler os comentários e saber o que cada um achou do looking glass.

14 Comentários

Adicionando flocos de neve ao plugin XSnow do Beryl

Geralmente nessa época do ano as pessoas acham que sertas estravagancias são permitidas, eu penso que deveria er o contrário, porém eu acabei de me permitir fazer uma, por exemplo carregando meu processador com coisas inúteis como trabalhar enquanto flocos de neve ficam caindo sob minhas aplicações. Seguindo a dica do Rauggy deixado no artigo anterior, eu encontrei algumas páginas que podem fornecer flocos de neve diferentes, incluindo alguns artigos como estrelas natalinas e outros objetos para o plugin XSnow (Beryl).

No artigo anterior voce viu como é facil atualizar o beryl para o beryl-svn, pois então agora voce tem o plugin XSnow que quando ativado faz nevar ao toque do Win(SuperKey)+F3, é legal, mas só existe um tipo de floco, vamos adicionar mais ?

Primeiramente, crie um diretório para armazenar os flocos de neve que iremos baixar :

mkdir snow-textures
cd snow-textures

Vamos fazer o download dos flocos encontrados nestas páginas :

http://goberylgo.blogspot.com/2006/12/pack-de-copos-de-nieve-snowflakes-para.html#snowflakes-pack
http://graphicssoft.about.com/od/freedownloads/l/blfreepng03.htm
http://graphicssoft.about.com/od/freedownloads/l/blfreepng05.htm

Tem muito mais por aí, quanto mais voce encontrar por aí, melhor, a única observância é que eles precisam estar no formato .png. Descompacte todos os arquivos, os arquivos que forem .zip voce terá que instalar o “unzip” (sudo apt-get install unzip), outros .tar.gz voce descompacta com o próprio tar -zxvf …

Voce pode aproveitar também e baixar algumas imagens que podem ser usados como skydome para quando seu cubo girar ter a impressão que suas aplicações estão rodando num ambiente como seu game preferido, telas surrealistas, etc… voce pode baixar algumas delas aqui :

http://goberylgo.blogspot.com/

Descompactou todos os arquivos ? Lançou-os na mesma pasta ?

Pois bem, agora vá até o beryl-manager->Configurações do Beryl-> Toys and Such->Snow, no seu lado direito voce vai ter uma região entitulada “Snow Textures”, clique em adicionar e voce poderá acrescentar os .png que voce baixou.

Se voce quiser aproveitar a ocasião e empacota-los, salve o script a seguir no mesmo diretórios dos .png e execute-o, esse script gerará um xsnow-textures-0.20061220.deb no diretório anterior de onde for executado. Baixe o script :

Script para empacotamento dos flocos de neve adquiridos para o XSnow-Beryl

renomei-o para criar_pacote_xsnow-textures_deb.sh :

mv criar_pacote_xsnow-textures_debsh.txt criar_pacote_xsnow-textures_deb.sh

Dê permissão de execução e execute-o :

chmod +x criar_pacote_xsnow-textures_deb.sh
./criar_pacote_xsnow-textures_deb.sh

Pronto! Um pacote de nome xsnow-textures-0.[dataatual].deb será gerado e então poderá instalar/remover/transportar suas texturas. Apenas atente-se ao fato de que as texturas do xsnow são instaladas em /usr/share/beryl.

Deixe um comentário

Configurando teclado ABNT2 no Ubuntu Edgy (reprise)

(Antes de ler, saiba que alguns caracteres como – – dois traços seguidos viram um traço longo –, as aspas duplas vira isso aqui : “”, sim este wiki modifica alguns caracteres. Então ao utilizar o famoso copiar/colar atente-se a isso.)

Ainda há algumas queixas com respeito de configurações de teclado ABNT2 no Ubuntu Edgy e um bocado de gente em lista de discussão fazendo a mesma pergunta “Como configurar direito o teclado ABNT2 no Ubuntu Edgy ?”, teve gente até que refez a instalação só para trocar de layout de teclado porque errou da primeira vez. Um artigo que eu já havia feito antes traz a resposta, mas ao invés de apenas apontar o link :

https://hamacker.wordpress.com/2006/10/24/abnt2-no-ubuntu-edgy-610/

Deixa eu passar o artigo na íntegra, porque na mensagem anterior foram poucos que re-leram o link e fizeram ainda mais perguntas, então os passos a seguir incluem a resposta para configuar ABNT2 no Gnome, Xorg, Console (terminal) e também no Vmware. A solução para Console(Terminal) e VMWare são as mais obscuras, porque estranhamente já presenciei a tecla “/” e “?” voltando a não funcionar depois (isso acontece algumas vezes, e tá … eu não sei a resposta pra tudo).
Quem é usuário dum teclado ABNT2 e instalou o Ubuntu Edgy 6.10 deve ter percebido que o teclado mesmo configurado desde o inicio da instalação como ABNT2 se comporta de forma irregular, algumas teclas simplesmente não funcionam, por exemplo, a barra vertical (ou pipe para alguns) que fica juntamente com a contra-barra (barra invertida para outros) resultam erroneamente em “<” e “>” respectivamente. Outro exemplo é o uso do ALTGR, uma tecla importante para produzir caracteres especiais como €®ø© onde simplesmente algumas combinações já não geram os caracteres que geravam antes.

Para mim foi fácil resolver porque este é o mesmissimo problema com Debian unstable que tive de resolver tempos atrás. Não sei porque, mas deu a louca no software livre e coisas que estavam boas resolveram dar “pepino”. Não me lembro de ter de reconfigurar o teclado no Ubuntu Dapper 6.06.

Bom, se voce também tem enfrentado este problema, há duas soluções, a primeira e mais fácil (visualmente falando) é instalar o applet de teclado para o gnome e a outra é configurar o próprio Xorg :

1) Opção 1 – Usando o applet “Indicador de teclado” do gnome :

Clique com o botão direito sobre a barra superior, selecione a opção “adicionar ao painel” e depois na sessão “Utilitários” dê um clique no componente “Indicador de teclado” e arraste-o para algum lugar da sua barra superior. Provavelmente um indicador com a sigla “Bra” surgirá, clique com o botão direito sobre ela e selecione “Preferencias do teclado” e depois selecione a orelha (ou “aba” para alguns) entitulada “Layouts“. Agora voce vai notar no campo “Modelo de Teclado” a informação “Generic 105-key (Intl) PC“, pois é, é aqui que está o erro, deveria ser “Brazilian ABNT2“. Para trocar clique no botão “Escolher“, e escolha na relação de modelos o item chamado “Brazilian ABNT2“.

Feito isso, estará pronto a configuração do seu teclado para o ambiente Gnome.

2) Opção 2 – Configurando o próprio Xorg :

Eu prefiro particularmente esta opção porque é a que me dá menos trabalho e funciona para todos os ambientes gráficos que eu dispuser (gnome, kde, windowmaker e xfce). Primeiramente tecle ALT+F2 e na janela de dialogo de execução digite : “gksu gedit /etc/X11/xorg.conf“.

Feito isso, vá até a sessão “InputDevice” em que ocorrer o “Identifier Generic Keyboard” , feito isso faça essas modificações :

Troque a linha :

Option “XkbModel” “pc105”

por

Option “XkbModel” “abnt2”

Acrescente esta nova linha linha :

Option “XkbVariant” “abnt2”

E por fim comente a linha a seguir colocando um # na frente dela, ou seja, ficando assim :

# Option “XkbOptions” “lv3:ralt_switch”

Feito isso apenas salve o arquivo e reinicie seu sistema (ou apenas refaça seu login) e pronto seu teclado se comportará exatamente como um ABNT2.

Configurando ABNT2 no console(terminal) do seu sistema

O mesmo problema também ocorre no console e é igualmente irritante, mas dessa vez não vou dar nenhum passo-a-passo de como corrigir o problema, porque um colega já fez isso por nós, veja este link quem tem essa necessidade :

http://www.iei.org.br/~rafael/blog/?page_id=5

Adaptando o link acima para o Ubuntu Edgy, é preciso liberar o repositório “universe” e após isso :

sudo apt-get install console-data console-common unicode-data

Para somente depois seguir as orientações do link : http://www.iei.org.br/~rafael/blog/?page_id=5

a saber :

Copiar o arquivo em http://www.iei.org.br/~rafael/down/br-abnt2.kmap.gz para /usr/share/keymaps/i386/qwerty/, eis os comandos necessários :

wget -vc http://www.iei.org.br/~rafael/down/br-abnt2.kmap.gz
sudo cp br-abnt2.kmap.gz /usr/share/keymaps/i386/qwerty/

Agora é só trocar de layout com o comando :

sudo dpkg-reconfigure console-data

Siga esta sequencia :

  1. Selecionar mapa de teclado da lista de arquiteturas
  2. Qual é a família do layout de seu teclado ? Escolha “qwert”
  3. Qual é o layout de teclas de seu teclado ? Escolha “Brazilian”
  4. Qual variante você possui ? Escolha “BR-Latin1”

Pronto ! Console configurado. Mas lembre-se de que no momento de apuros voce poderá usar ALTGR+Q para simular “/”, eu faço sempre isso porque não um jeito de configurar um teclado abnt2 no terminal porque simplesmente qualquer comando de movimentação de arquivos sempre faz uso do “/” que obviamente ainda não estará disponível.

Se seu teclado ABNT2 somente no terminal ficar voltando a configuração sem o “/?”, chute o pau da barraca e acrescente esta linha :

loadkeys /usr/share/keymaps/i386/qwerty/br-abnt2.kmap.gz

no arquivo de inicialização do sistema /etc/rc.local (antes da linha com exit). Thanks ao Kursk pela idéia.

Configurando o VMWare

O VMWare também insiste em não funcionar com as teclas “/” e “?”, curiosamente este já é um problema antigo que é solucionado editando o arquivo de configuração do vmware e acrescentando uma única linha. Eis o que deve fazer :

gksu gedit /usr/lib/vmware/config

Acrescente esta linha :

xkeymap.keycode.211 = 0x073   (cuidado com o “X” na hora de copiar/colar)

Usando VMWare com máquinas virtuais Windows XP funcionou sem nenhum problema.

Considerações finais :

Aparentemente este bug já foi resolvido para a versão final do Ubuntu, veja :

https://launchpad.net/distros/ubuntu/+source/console-setup/+bug/66774

21 Comentários

Configure seu Ubuntu para usar proxy quando estiver usando terminal, apt-get e wget.

(cuidado com as aspas duplas neste artigo, pois o copiar/colar as transcreve para aspas comerciais)

Quando monto uma rede, em geral coloco no firewall+gateway permissão que deixe passar endereços de atualização do apt-get e assim todos na rede podem atualizar seu linux sem se preocupar com configurações de proxy, obviamente navegação e outros serviços somente com proxy.

Porém, alguns dias atras tive que montar uma rede em que não era possivel liberar o gateway, tudo teria de ser por proxy. Pesquisei pela internet e encontrei o Wiki do Sergio Araujo com uma dica valiosa sobre o uso do apt-get e wget usando proxy, tive que fazer algumas adaptações pois o artigo original é para Conectiva 10.

Antes de prosseguir com a dica devo alerta-los que a configuração baseia-se em colocar usuario+senha em arquivos de configuração do sistema, alguns desses arquivos estão disponíveis para leitura por outras contas de sistema, é o que chamamos de plain-text, assim dessa forma, NUNCA USE UMA CONTA DE PROXY QUE SEJA A MESMA DE OUTROS SERVIÇOS.

1) Para configurar o terminal para usar proxy :

Voce pode escolher acrescentar essas linhas no arquivo /etc/profile (para todas as contas em seu sistema) ou /home/usuario/.bash_profile (somente para a conta do usuario) :

http_proxy="http://usuario:senha@ip.do.servidor.proxy:porta"
ftp_proxy="http://usuario:senha@ip.do.servidor.proxy:porta"
export http_proxy ftp_proxy

Em geral a porta do proxy é 3128 ou 8080, o ip.do.servidor.proxy também pode ser um nome dns como intranet.minhaempresa.com.br. Se voce quiser poderá suprimir usuario:senha e deixar que os aplicativos de linha de comando requisitem-no quando necessário, o wget por exemplo possui parametros de usuario/senha, o lynx questiona a senha no momento da conexão, e assim por diante.

2) Para configurar o apt (apt-get) :

Vamos criar o arquivo /etc/apt/apt.conf.d/02proxy com o seguinte conteúdo :

Acquire {
 HTTP::PROXY=usuario:senha@ip.do.servidor.proxy:porta;
 FTP::PROXY=usuario:senha@ip.do.servidor.proxy:porta;
}

Se você esta usando o Ubuntu 10.04 Lucid as linhas acima deverão ser trocadas por :

Acquire::http::Proxy "http://usuario:senha@ip.do.servidor.proxy:porta";
Acquire::ftp::Proxy "ftp://usuario:senha@ip.do.servidor.proxy:porta";

Os arquivos de configuração do APT que aparecem em “/etc/apt/apt.conf.d/” juntos formam uma única configuração, o numero na frente do nome do arquivo como “02proxy” é a tentativa de ordena-los, nós queremos que a configuração de usar proxy fique topo dessa configuração. Algo importante que voce poderia fazer é criar uma conta de proxy específica para uso com o apt-get, dessa forma voce poderia aproveitar pular o passo 1 e 3 se sua necessidade resume-se apenas a instalar/atualizar programas com o apt/synaptic.
3) Para configurar o wget :

Vamos utilizar o conceito de alias, isto é, criar um comando-apelido no terminal que replique outro comando. Voce novamente poderá escolher acrescentar essas linhas no arquivo /etc/profile (para todas as contas em seu sistema) ou /home/usuario/.bash_profile (somente para a conta do usuario) :

alias wget ="wget --proxy-user=usuario --proxy-passwd=senha"  (os dois traços são juntos)

Não é preciso se preocupar com o endereço do servidor de PROXY porque as váriaveis http_proxy e ftp_proxy do seu sistema irão supri-los.

É isso, novamente vou alerta-los, a senha em plain-text poderá ser observada por outras contas em seu sistema, com excessão de arquivos configurados em /home/usuario/.bash_profile que naturalmente cada usuário está restrito a ver somente o seu. Se pretente usar senhas configuradas nos arquivos em /etc/ é melhor dar permissão de leitura/escrita somente ao root e ainda por cima usar nome de contas de usuários cuja senha não sejam o mesmo de outros serviços deste computador ou de outros na rede. Senhas como “servidor123senha”, ou seja com certa metodologia pode entregar senhas de outros serviços ou computadores espalhados pela rede, senhas assim são de grande valor apenas para crackers (hackers do mal), tente mudar isso.

11 Comentários